Prof. Renato Rossi Jr

Este material foi elaborado para complementar o estudo de vocês e facilitar a fixação do conteúdo abordado. Ele deve ser estudado atentamente após a l...

51 downloads 433 Views 6MB Size
DISCIPLINA DE PATOLOGIA Prof. Renato Rossi Jr

Unidade 1 Adaptação e Lesão Celular

Objetivo da Unidade: Identificar e compreender os mecanismos envolvidos nas lesões celulares reversíveis e irreversíveis.

2012

Este material foi elaborado para complementar o estudo de vocês e facilitar a fixação do conteúdo abordado. Ele deve ser estudado atentamente após a leitura do livro texto indicado pela disciplina. O conteúdo deste material também será objeto de avaliação oficial e parcial, incluindo a discussão de seus textos em sala de aula durante as aulas expositivas dialogadas e a realização dos exercícios da lista. Esperamos que seu estudo seja aprimorado e facilitado com este material. Bom estudo!

Sumário INTRODUÇÃO ................................................................................... 1 CAPÍTULO 1 – LIVRO PATOLOGIA BÁSICA ROBBINS PARA LEITURA E DISCUSSÃO LISTA DE EXERCÍCIOS ...................................................................................................................................................... 21 BIBLIOGRAFIA UTILIZADA ............................................................................................................................................... 22

INTRODUÇÃO

Respostas celulares ao estresse e aos estímulos nocivos

As células são participantes ativos em seu ambiente e estão constantemente ajustando sua estrutura e função para se adaptarem as demandas de alterações e de estresse extracelular. A célula normal está confinada, pelos programas genéticos de seu metabolismo, diferenciação e especialização, a uma variação muito limitada de função e estrutura; pela repressão das células vizinhas e pela disponibilidade de substratos metabólicos. Entretanto, ela é capaz de lidar com exigências fisiológicas normais, mantendo um estado estável chamado de homeostasia. Estresses fisiológicos mais severos e alguns estímulos patológicos podem desencadear um grande número de adaptações celulares fisiológicas e morfológicas durante as quais são alcançados novos estados de estabilidade, porém alterados, preservando a viabilidade da célula e modulando suas funções conforme ela responde a tais estímulos. A resposta adaptativa pode consistir em um aumento no número de células, chamado de hiper-plasia, ou em um aumento no tamanho de cada célula, chamado de hipertrofia. Por outro lado, a atrofia é uma resposta adaptativa na qual existe uma redução no tamanho, no número e na função das células. Se os limites da resposta de adaptação a um estímulo são excedidos, ou em determinadas circunstâncias quando a célula é exposta a um agente lesivo ou estresse, ocorre uma sequência de eventos que é chamada de lesão celular. A lesão celular é, até certo ponto, reversível, mas se o estímulo persistir ou for severo o suficiente desde o início, a célula atinge um “ponto sem retorno”, e sofre então uma lesão celular “irreversível”, e, finalmente, morte celular. Adaptação, lesão reversível e morte celular podem ser considerados estágios de um dano progressivo das funções e estruturas celulares normais. Por exemplo, em resposta a cargas hemodinâmicas elevadas e persistentes, como na hipertensão, o coração primeiro se adapta sofrendo uma hipertrofia – aumento do tamanho das células individuais e, por fim, de todo o coraçãopara gerar uma força contrátil maior. Se o aumento da demanda não for atenuado ou se o miocárdio for submetido a um fluxo sanguíneo reduzido (isquemia) em virtude de uma oclusão em uma artéria coronária, as células musculares sofrerão lesão. O miocárdio pode ser lesado de modo reversível, se o estresse for leve ou de modo irreversível (infarto), morte celular, como por exemplo após uma oclusão arterial completa e prolongada. A morte celular, o resultado final da lesão celular, é um dos eventos mais cruciais na evolução da doença em qualquer tecido ou órgão. Ela resulta de diversas causas, incluindo a isquemia (falta de fluxo sanguíneo), infecção, toxinas e reações imunológicas. Além disso, a morte celular é uma parte normal e essencial da embriogênese, desenvolvimento dos órgãos e manutenção da homeostasia. Existem dois padrões principais de morte celular, necrose e apoptose. A necrose é o tipo de morte celular que ocorre após estresses anormais como isquemia e lesão química, sendo sempre patológica e não há ativação das enzimas envolvidas na apoptose. Ocorre quando a agressão é suficiente para interromper as funções vitais da célula (cessam a produção de energia, ativação de enzimas intracelulares decorrentes das altas concentrações de cálcio no citoplasma, perda da integridade da membrana celular, iniciando a autólise).A apoptose ocorre quando a célula morre devido á ativação de um programa de suicídio controlado internamente e ativação de enzimas relacionados a apoptose. É projetado para eliminar células indesejáveis durante a embriogênese e em vários processos fisiológicos, como a involução de tecidos responsivos a hormônios após a retirada dos mesmos. Também ocorre em determinadas condições patológicas, quando as células estão danificadas de tal forma que não podem ser reparadas, e especialmente se a lesão afeta o DNA celular. Abordaremos novamente, de forma detalhada, as vias de morte celular mais adiante. Nesse capítulo, primeiro discutimos como as células se adaptam ao estresse e depois as causas, mecanismos e consequências das diferentes formas de dano celular agudo, incluindo lesão e morte celular.

Adaptações Celulares As adaptações são alterações reversíveis em número, tamanho, fenótipo, atividade metabólica ou das funções celulares, em resposta as alterações no seu ambiente. As adaptações fisiológicas normalmente representam respostas celularesà estimulação normal pelos hormônios ou mediadores químicos endógenos. As adaptações patológicas são respostas ao estresse que permitem as células modular sua estrutura e função escapando, assim, da lesão. Tais adaptações podem ter várias formas distintas.

Fonte: http://www.unirio.br/dmp/Graduacao/Enfermagem/Patologia/Adapta%C3%A7%C3%A3o%20Celular.pdf

Fonte: http://www.unirio.br/dmp/Graduacao/Enfermagem/Patologia/Adapta%C3%A7%C3%A3o%20Celular.pdf

A maneira com a qual a célula irá responder a um estimulo seja ele fisiológico ou patológico também está diretamente relacionada ao tipo de célula ou tecido envolvido e sua capacidade de divisão celular. Desta forma, podemos recordar que os tecidos do corpo são divididos em três grupos: Tecidos que se dividem continuamente

(células lábeis), eventualmente (células estáveis), ou perdem esta capacidade (célulaspermanentes). As células podem então sofrer modificações bioquímicas e morfológicas quandosubmetidas a estímulos fisiológicos e patológicos, dependendo de sua capacidade de resposta eadaptação.

Fonte: http://www.unirio.br/dmp/Graduacao/Enfermagem/Patologia/Adapta%C3%A7%C3%A3o%20Celular.pdf

CAPÍTULO 1 – LIVRO PATOLOGIA BÁSICA ROBBINS

LISTA DE EXERCÍCIOS 1 – Explique o esquema ilustrado abaixo:

2 - Conceitue Hipertrofia e cite um exemplo. __________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________ 3 – Conceitue Atrofia e cite um exemplo. __________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________ 4 – Conceitue Hiperplasia e cite um exemplo. __________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________ 5 - Conceitue Metaplasia e cite um exemplo. __________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________ 6 – Defina Lesão celular reversível e cite um exemplo. __________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________ 7 – Defina Lesão celular irreversível. __________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________ 8 – Cite 5 condições que podem determinar lesão celular __________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________ 9 – Diferencie morte celular por Necrose de morte celular por Apoptose. __________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________

10 – O que consiste Necrose Caseosa e em qual doença podemos encontrá-la. __________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________

BIBLIOGRAFIA UTILIZADA -

KUMAR, Vinay; FAUSTO, Nelson; ROBBINS, Stanley L.; CTRAN, Ramzi S.; ABBAS, Abul K..Patologia Básica. 8ª Edição. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008. BRASILEIRO FILHO, Geraldo. Bogliolo patologia geral. 3.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2004.